20 janeiro, 2007

Açaí

Solidão de manhã,
Poeira tomando assento
Rajada de vento,
Som de assombração,
coração

Sangrando toda palavra sã
A paixão puro afã,
Místico clã de sereia
Castelo de areia,
Ira de tubarão, ilusão
O sol brilha por si

Açaí, guardiã
Zum de besouro um imã
Branca é a tez da manhã


Nunca fez tanto sentido...

Um comentário:

binn disse...

Maiiiiiiinha!

toh aki viu?!?
qlqr coisa grita!

bjoOO
te amoOO